Tags

, , ,

Sempre use um copo do tamanho apropriado... Ou seu coquetel pode parecer que já foi bebido.

Sempre use um copo do tamanho apropriado…
Ou seu coquetel pode parecer que já foi bebido.

Coqueteis compostos por destilado, cítrico e uma forma de açúcar estão presentes no mundo há bastante tempo e são muito difíceis de rastrear a história.

A receita do Daiquiri lembra muito, para nós brasileiros, a receita do nosso coquetel nacional.

Talvez a Caipirinha tenha surgido, assim como o Old Fashioned, como uma forma de remédio. O limão por ser rico em vitamina C ajuda contra a gripe, o açúcar para dar energia ao corpo fraco e a Cachaça como uma forma de analgésico…
Há histórias que trazem o mel e o alho também, novamente com a ideia de um coquetel revigorante.

Mas o importante é, uma caipirinha bem feita, com bastante gelo, revigora e traz felicidade a todos que a bebem.

Segue um texto desmistificando e padronizando a receita da Caipirinha.

1. DEFINIÇÃO:

A definição de uma Caipirinha é:

1. Cachaça;

2. Açúcar;

3. Limão macerado;

4. Servido em copo com gelo.

2. INGREDIENTES:

1. Cachaça: Somente Cachaça, nada menos. E de preferência uma Cachaça de boa qualidade, afinal, um coquetel é tão bom quanto seu pior ingrediente;

2. Açúcar: Sou contra o açúcar em sua forma sólida para coqueteis. Açucar não dissolve bem com álcool ou em baixas temperaturas. Acredito que uma boa Caipirinha possa ser feita com Simple Syrup, todavia, para manter a tradição recomendo cubos de açúcar. Com os cubos fica fácil controlar a dosagem e por serem feitos de açúcar refinado a diluição acontece sem muito esforço;

3. Limão macerado: Limão tahiti é o mais comum. É recomendado parti-lo ao meio e retirar a columela (parte branca que dá estrutura à fruta), isto irá facilitar a maceração. É essencial também que não se retire a casca do limão, ali estão presentes os óleos essenciais que dão todo o tchan da Caipirinha;

4. Servido em copo com gelo: Prefiro construir minha caipirinha no mesmo copo em que vou serví-la, temperando o vidro com os óleos liberados na maceração. Prefiro também serví-la montada direto no copo, sem bater o coquetel, utilizando gelo em cubos quebrados.

Passo-a-passo

Passo-a-passo

3. TÉCNICA (e receita)

CAIPIRINHA

1 limão Tahiti (25mL de suco)

4 cubos (~10g) de açúcar

1 dose(60mL) de Cachaça

Corte o limão*. Coloque o limão no copo com a parte verde voltada para a boca do mesmo. Adicione os cubos à medida que estes forem quebrados pelo macerador. Macere** o limão o suficiente para extrair o suco.

Misture com uma colher para garantir que o açúcar foi dissolvido e prove para checar o equilíbrio entre azedo e doce. Caso a misture estaja azeda em exesso, corrija com Simple Syrup.

Complete o copo com gelo, adicione a Cachaça (de preferência gelada), misture e complete com mais gelo, caso necessário.

4. Considerações Finais

Existem vários lugares para uma Caipirinha dar errado. Seja um limão muito grande, uma colher muito bem servida de açúcar (que acabou melando o fundo do copo), uma Cachaça com gosto de carburador furado… ou um gelo molhado e pouco farto.

Entender o equilíbrio entre azedo e doce é um dos grandes trunfos de um bartender. É também um dos pontos principais para uma boa caipirinha, portanto, escolha bem seus limões (casca lisa, suculentos e não muito grandes) e cheque o equilíbrio antes de servir o coquetel.

Como prefiro fazer um coquetel “mais rústico”, montando a Caipirinha direto no copo, a temperatura do primeiro gole pode ser um problema, portanto prefiro utilizar uma Cachaça geladinha e misturar o coquetel com uma colher, tanto para integrar os ingredientes quanto para iniciar uma diluição do coquetel.

Espero que este artigo sirva para entusiastas, iniciantes e profissionais mais vividos.

Os coqueteis clássicos são a base para outros coqueteis e é de suma importância a compreensão dos conceitos e técnicas básicas para se fazer bons coqueteis.

Um clássico bem executado reflete um bartender consciente e com domínio da coquetelaria.

Saúde!

*O corte que uso para os limões é este:

“Fatie” o limão em duas direções

**Uma boa técnica dá confiança ao cliente. Veja como macerar: 

Aproveite este momento para interagir com seu cliente. E segure o copo sempre acima da base, caso o copo quebre você não irá se cortar.

Old Fashioned – Projeto Coqueteis Clássicos

Mint Julep – Projeto Coqueteis Clássicos

Manhattan – Projeto Coqueteis Clássicos

Dry Martini – Projeto Coqueteis Clássicos

Daiquiri – Projeto Coqueteis Clássicos