Tags

, , , , , ,

Foto: honestlyyum.com/

Foto: honestlyyum.com/

Praticamente todos os países possuem sua versão típica de um sour.

Destilado nacional, cítrico disponível e uma forma típica de adoçar.

No caso do México temos: Tequila, limão e licor de laranja.

O nome Margarita, provavelmente, vem de uma classe de sour cocktails conhecida como Daisy (margarida). Os Daisy são sours adoçados com licores ou xaropes e em algum bar servido Tequila Daisy (Tequila, limão e licor) teve-se a ideia de traduzir o nome da flor para o nome mexicano.

1. DEFINIÇÃO:

A definição de uma Margarita é:

1. Tequila;

2. Licor de Laranja;

3. Limão;

4. Servido em copo com borda de sal.

2. INGREDIENTES:

1. Tequila: Devido ao forte sabor do licor de laranja prefiro utilizar um Tequila blanco, por ter os sabores típicos do destilado sem influência de madeira. Prefira Tequilas 100% agave, desta forma todo o sabor característico do Tequila será entregue ao seu coquetel. O termo 100% agave indica um destilado produzido apenas com os açúcares presentes na planta do agave azul;

2. Licor de Laranja: Também conhecido como Triple Sec ou Curaçao. Prefira os licores de laranja que não apresentam coloração, desta forma não interferindo na cor do coquetel. Por conter dois ingredientes com 40% de graduação alcoólica, eu equilibro o coquetel com um toque de Simple Syrup também;

3. Limão: Limão tahiti para entregar o sabor tropical e refrescante necessário neste coquetel;

4. Servido em copo com borda de sal: Procure por um sal não iodado e com grãos maiores, para que o sal não obstrua as papilas gustativas. Uma boa ideia também é não encrustar toda a borda com sal, dando a opção de não ter o sal para quem assim preferir. Garanta também que seu sal esteja presente apenas no exterior do copo.

3. TÉCNICA (e receita)

MARGARITA

3 partes de Tequila branca 100% agave

1 parte de licor de laranja

1 parte de Simple Syrup*

1 parte de suco de limão

Prepare seu copo com meia borda de sal**, se preparado com atencedência a aderência do sal ao copo é melhor. Resfrie seu copo e prepare o coquetel.

Bata todos os ingredientes com bastante gelo e coe para o copo previamente preparado.
Aqui existe a opção de servir em um copo baixo e com gelo (Margarita on-the-rocks, meu serviço favorito.) ou em uma taça de coquetel, resfriada e sem gelo.

4. Considerações Finais

O equilíbrio desta receita depende muito da marca do licor de laranja, existem marcas bem doces e marcas bem secas. Ajuste com o xarope de açúcar de acordo com o paladar do seu cliente.

Existem duas razões para utilizar o Simple Syrup nesta receita: a primeira é suavizar a potência alcoólica e a segunda é realçar o sabor do destilado, que muitas vezes se perde frente ao forte sabor do licor de laranja. Lembre-se este é um coquetel de Tequila, portanto o destilado deve ser presente e reconhecível.

Novamente o equilíbrio entre azedo & doce é importantíssimo. Um coquetel muito azedo pode até ser agradável ao primeiro gole, mas ao esquentar torna-se intragável. Da mesma forma, um coquetel muito doce acaba por melar a boca.

Esta proporção de 3:2:1 (ou 3:1:1:1) é super fácil de lembrar.

Espero que este artigo sirva para entusiastas, iniciantes e profissionais mais vividos.

Os coqueteis clássicos são a base para outros coqueteis e é de suma importância a compreensão dos conceitos e técnicas básicas para se fazer bons coqueteis.

Um clássico bem executado reflete um bartender consciente e com domínio da coquetelaria.

Saúde!

* Para coqueteis batidos, prefiro utilizar um xarope de açúcar feito diferente do aprensentado para o Old Fashioned (receita “Rica”).
Simple Syurp (receita Simples)

1 parte de açúcar

1 parte de água

Misture até dissolver.

**Veja este vídeo sobre como fazer uma borda de sal: