Tags

, , , ,

11022838_10152716109662844_450847084_n

Coquetel por João Morandi.

Nada mais refrescante que um Mojito bem feito!
O Mojito nada mais é que um Rum Collins com hortelã.
Contudo, como todo coquetel clássico, sua simplicidade é sua perdição.

1. DEFINIÇÃO:

A definição de um Mojito é:

1. Rum;

2. Açúcar;

3. Limão;

4. Água com gás;

5. Hortelã;

6. Servido em copo longo com gelo.

2. INGREDIENTES:

1. Rum: Um rum branco leve como Bacardi Superior funciona muito bem, sem dificultar os leves sabores da hortelã a aparecerem;

2. açúcar: presente na forma de simple syrup;

3. Limão: limão tahiti, assim como no Daiquiri;

4. Água com gás: Quanto mais gelada sua água com gás mais bolhas ela terá. Para coqueteis carbonatados prefiro uma água gaseificada artificialmente por ter mais bolhas que as naturais;

5. Hortelã: Trazem frescor e refrescância ao coquetel;

5. Servido em copo longo com gelo: O gelo do copo é novo, não é o que foi utilizado para bater.

3. Receita

MOJITO

4 partes de Rum branco

2 parte de limão tahiti

1 parte de Simple Syrup

2 partes de água gasosa

12 folhas de hortelã

Garnish: Ramos de hortelã

Coloque o Simple Syrup no fundo de um copo longo resfriado, adicione o hortelã e pressione gentilmente*.

A seguir os outros ingredientes e misture, complete o copo com gelo e misture mais.

Ao misturar tente espalhar as folhas de hortelã pelo copo.

Complete com água gasosa e misture novamente, para integrar a água ao coquetel.

Coloque um canudo e, o mais próximo possível deste, diversos ramos de hortelã previamente “acordados” com um leve tapinha.

4. Considerações Finais

Note novamente a importância do garnish. O aroma do hortelã elava todo o coquetel, trazendo as elegantes notas de hortelã para o paladar.

Caso seu hortelã não apareça nos sabores do coquetel você estará servindo um Rum Collins… e não é isto que o seu cliente quer, não é mesmo?

Use sempre hortelãs frescas e um garnish aromático para complementar.

Esta regra vale para todas as ervas que você for utilizar em coqueteis.

Evite macerar o hortelã juntamente com o limão, caso opte por macerar o limão.
Evite também macerar o hortelã com açúcar cristal, isto irá rasgar as folhas e deixar seu coquetel com aparência e sabor de salada.

Em caso de dúvida use a imagem do início do texto como referência visual.

Espero que este artigo sirva para entusiastas, iniciantes e profissionais mais vividos.

Os coqueteis clássicos são a base para outros coqueteis e é de suma importância a compreensão dos conceitos e técnicas básicas para se fazer bons coqueteis.

Um clássico bem executado reflete um bartender consciente e com domínio da coquetelaria.

Saúde!

* Bem gentilmente, quase um carinho.

Leia também sobre outros coqueteis clássicos:

Old Fashioned – Projeto Coqueteis Clássicos

Mint Julep – Projeto Coqueteis Clássicos

Manhattan – Projeto Coqueteis Clássicos

Dry Martini – Projeto Coqueteis Clássicos

Daiquiri – Projeto Coqueteis Clássicos

Caipirinha – Projeto Coqueteis Clássicos

Margarita – Projeto Coqueteis Clássicos

Sidecar – Projeto Coqueteis Clássicos

Whisky Sour – Projeto Coqueteis Clássicos

Cosmopolitan – Projeto Coqueteis Clássicos

Tom Collins – Projeto Coqueteis Clássicos