Tags

, , , ,

Foto: smallscreennetwork.com

Alexander é um coquetel de 100 anos. Inventado antes da proibição americana.

É o último classico do Projeto e um excelente coquetel de sobremesa.

É o primeiro coquetel em que vamos utilizar derivados de leite.

Assim como coqueteis com ovo e coqueteis com muito açúcar, a gordura do leite dificulta a absorção do álcool pelo organismo, retardando o processo e ocasionalmente dando o efeito de “bateutudodeumavezeeupasseimal”. Cuidado!

Também como o ovo, o creme de leite acaba por mascarar alguns sabores do coquetel, mas também agrega uma deliciosa textura cremosinha. Quem não gosta?

1. DEFINIÇÃO:

A definição de um Alexander é:

1. Gin;

2. Créme de Cacau;

3. Creme de leite;

4. Servido em taça previamente resfriada.

2. INGREDIENTES:

1. Gin: London Dry Gin. Existe também o Brandy Alexander, se for utilizar outro destilado garanta que o sabor é bem presente para não se perder na cremosidade;

2. Créme de Cacau: Licores Créme são aqueles que tem mais de 40% de açúcar (400g/L) e não licores com creme de leite. Procure um licor de cacau que entregue bem este sabor. Créme de Cacau não é licor de chocolate, nem calda de chocolate, nem nutela;

3. Creme de leite: Por ser muito gorduroso e dar uma textura extremamente gordurosa (sim é quase só gordura), é necessário regular com leite. O famoso half-and-half *(ler: réfenréfe). Não, este coquetel não usa leite condensado, nem sorvete. Amém;

4. Servido em taça previamente resfriada: Simples assim.

3. Receita

ALEXANDER

3 parte London Dry Gin

2 parte Créme de Cacau

2 parte de half-and-half

Garnish: Noz-moscada ralada

Bata vigorosamente para misturar, diluir e aerar o coquetel. Sirva na taça resfriada e enfeite com noz-moscada ralada.

4. Considerações Finais

Como dito anteriormente, o creme de leite e sua gordura dão uma cremosidade agradável ao coquetel, contudo mascaram alguns sabores e retardam o efeito de absorção do alcoól.

Note como este coquetel é cremoso, docinho e elegante. E não precisou de utilizar nenhum ingrediente vil.

A noz-moscada ajuda no aroma do coquetel. E como já vimos, aroma agrega sabor.

Então é isso, espero que está sobremesa alcoólica feche nossa viagem pelos coqueteis clássicos.

Os coqueteis clássicos são a base para outros coqueteis e é de suma importância a compreensão dos conceitos e técnicas básicas para se fazer bons coqueteis.

Um clássico bem executado reflete um bartender consciente e com domínio da coquetelaria.

Saúde!

*Half-and-half

1 parte de creme de leite (fresco)

1 parte de leite integral

Agite em um recipiente até misturar. Tente atingir 12% de gordura, basta fazer algumas contas com a informação nutricional dos insumos.

Leia também sobre outros coqueteis clássicos:

Old Fashioned – Projeto Coqueteis Clássicos

Mint Julep – Projeto Coqueteis Clássicos

Manhattan – Projeto Coqueteis Clássicos

Dry Martini – Projeto Coqueteis Clássicos

Daiquiri – Projeto Coqueteis Clássicos

Caipirinha – Projeto Coqueteis Clássicos

Margarita – Projeto Coqueteis Clássicos

Sidecar – Projeto Coqueteis Clássicos

Whisky Sour – Projeto Coqueteis Clássicos

Cosmopolitan – Projeto Coqueteis Clássicos

Tom Collins – Projeto Coqueteis Clássicos

Mojito – Projeto Coqueteis Clássicos

Gin Tônica – Projeto Coqueteis Clássicos

A