Além da caipirinha, quais outros clássicos nacionais você conhece?

É importante entender de onde surgem os clássicos e quais as influências que eles tem na nossa coquetelaria hoje.
Alguns dos coquetéis apresentados nesta lista são pouco utilizados em cardápios, mas influenciam criações de grandes bartenders.

Muitos dos clássicos que temos atualmente são comuns à coquetelaria de outras culturas, isso por que são coquetéis simples que utilizam ingredientes muito comuns, alguns outros porém já trazem um pouco mais da nossa cultura e apresentam ingredientes regionais.

O importante é que em algum momento no passado estes eram coquetéis bastante conhecidos e que merecem nossa atenção ainda hoje.

1. Caipirinha
Nosso coquetel mais famoso, muito devido ao trabalho do grande bartender Mestre Derivan que ajudou a divulgar nossa cultura e colocar este clássico na lista da IBA (Internacional Bartender Association).
Divide uma grande semelhança com outros clássicos internacionais como, Margarita, Daiquiri, Pisco Sour e Gimlet.

VEJA AQUI A RECEITA DA CAIPIRINHA

caipirinha

2. Cachaça com Mel e limão
Uma bebida tão famosa que diversas marcas que já a vendem pronta. Também divide DNA com outros coquetéis como Bee’s Knees e Canchachara.

pinga1

3. Rabo de Galo
Um coquetel que também tem um DNA clássico, da linhagem do Manhattan, Martini e Rob Roy. Contudo, por ser um coquetel muito comum em butecos acabou sendo esquecido pela coquetelaria elitista.
Contudo, novamente com um belo trabalho do Mestre Derivan estamos comentando mais sobre esta receita. Desde 2017 existe o campeonato nacional de Rabo de Galo.

EM BREVE um post com 5 variações de Rabo de Galo!

rabo-de-galo-bar-tuju-1435960302777_300x300

4. Maria Mole
Outra combinação simples e popular que merece nossa atenção.

Conhaque com Vermute Bianco.

Funciona bem com os “conhaques” nacionais, bebidas saborizadas com gengibre e carvalho, os brandys mais populares e um verdadeiro Cognac.

29683829_1702689093123654_7116816971512800426_n

5. Bombeirinho
Mais um coquetel muito comum em butecos e na década de 70 foi muito consumido pelos universitários. Um coquetel frutado e refrescante de fácil preparo.

VEJA AQUI UMA RECEITA DE BOMBEIRINHO.

bombeirinhobar-tuju-1435951388802_300x300

6. Jorge Amado
Um coquetel frutado e tropical que ganha personalidade com um ingrediente regional, a Gabriela, uma aguardente composta de cravo e canela. Durante a filmagem da minissérie Gabriela, Cravo e Canela este coquetel foi muito consumido e acabou levando o nome do autor do livro.

VEJA AQUI UMA RECEITA PARA O COQUETEL JORGE AMADO.

jorge-amado-coquetel-mapadacachaca

7. Caju Amigo
Criação do bartender Guilermino Ribeiro dos Santos em 1974 no bar Pandoro.
Apesar te saboroso, de início a receita não tinha nome, mas caiu no gosto dos cliente que pediam “mais um caju, amigo!”
Uma receita simples, mas cheia de charme.

VEJA AQUI UMA RECEITA PARA O CAJU AMIGO.

courtesy-of-subastor2

8. Rio Negro
Um excelente coquetel que conversa muito com a moda atual de aperitivos e highballs.

Brasilberg, limão e tônica.

drinks_rionegro

9. Moscow Mule
Apesar de ser um clássico internacional, no Brasil ganhou uma versão que já é culturalmente nossa.
Na falta de Ginger Beer importado, o bartender Marcelo Serrano, no MyNY bar em 2011, resolveu adaptar com uma espuma de gengibre, o resto é historia.

SAIBA MAIS SOBRE O MOSCOW MULE.

moscow-mule

 

10. Macunaíma
Criado no bar Boca de Ouro, por Arnaldo Hirai, em 2013. Mas já é um grande clássico reproduzido no Brasil todo.

13269454_1081713808531123_1140855888_n

MACUNAÍMA

50ml Cachaça (Bálsamo)

25ml xarope de açúcar

20ml suco de limão tahiti

10ml Fernet Branca

Bater bem com gelo e servir em copo baixo sem gelo.

 

Conte nos comentários qual desses clássicos você ainda não bebeu ou não conhecia!

Saúde!